Já ouviu falar em soft skills? Se não, a gente te conta o que é, aqui e agora.

As soft skills não são habilidades técnicas, mas sim atributos pessoais, que ajudam os profissionais a lidar com as situações presentes em seu dia a dia e a aprimorar suas interações com o restante da equipe em que estão inseridos. O termo vem sendo utilizado desde 2016, após uma reunião do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, onde empresários e líderes mundiais se reuniram para discutir o futuro da economia e dos negócios: a Indústria 4.0.

Em pauta, as transformações ocorridas não apenas dentro das empresas, mas também no mercado de trabalho como um todo, com uma verdadeira revolução no perfil profissional.

O que esperar do futuro do trabalho nas próximas décadas? Esse era um dos questionamentos feitos pelos presentes. Nesta série de reportagens, nós já abordamos as 8 áreas que mais serão impactadas pela 4ª Revolução Industrial, sobre os 7 conhecimentos que você deveria investir o seu tempo de estudo, e 15 profissões que irão surgir, dando-lhe ainda a opção de mais 15 escolhas.

Agora, damos as dicas das habilidades comportamentais – ou competências – que serão exigidas dos profissionais do futuro.

O relatório do Fórum Econômico Mundial, batizado de The Future of Jobs and Skills aponta que quem quer conquistar espaço nas novas indústrias deverá desenvolver novas habilidades, que possibilitarão o trabalho em funções mais complexas e criativas. Isso porque, o trabalho braçal passa a ser feito por máquinas e o colaborador começa a exercer função mais estratégica, no campo das ideias e do acompanhamento desses trabalhos.

Com transformações constantes, a capacidade de adaptação é um ponto que deve ser desenvolvido pelos profissionais, além da multidisciplinaridade.

Como soft skills, podemos destacar: capacidade de comunicação clara e articulada; postura e boa fala em público; resolução de conflitos; empatia; trabalho em equipe; persuasão, carisma, objetividade e liderança; criatividade; inteligência emocional. São características que podem ser melhoradas e desenvolvidas ao longo do tempo, desde que o profissional tenha força de vontade para isso.

Abaixo, mostramos cinco habilidades que serão cobradas dos profissionais da indústria 4.0.

O Sistema Findes tem o que você precisa

As entidades educacionais do Sistema Findes – Sesi, Senai e IEL – têm o know how necessário para preparar esses profissionais do futuro, desde o ensino infantil, passando pelo técnico e o gestacional.

No  Sesi-ES o aluno conta com uma grade curricular diferenciada e inovadora, com a pegada tecnológica necessária para esse modelo de Indústria 4.0. A Rede Sesi de Educação foi pioneira no Espírito Santo na implementação das disciplinas de Empreendedorismo e da Robótica Educacional e, para 2019, traz três novos diferenciais: o Programa de Orientação Educacional (POP), a Educação Maker e o Ensino Bilíngue.

As matrículas do Sesi estão abertas. Você pode conhecer mais sobre a instituição e fazer seu cadastro de interesse clicando aqui!

Já Senai-ES possibilita aos seus alunos um ensino completo, profissional e tecnológico, com unidades dotadas de infraestrutura completa, compostas por equipamentos modernos para que seja realizado o bom casamento entre a teoria e a prática. Ou seja, para que os estudantes aprendam “colocando a mão na massa”. A instituição está se reposicionando para atender às demandas da Indústria 4.0 e lançando novos produtos voltados para o futuro mercado de trabalho.

Clique aqui e fique por dentro!

O Sistema Findes também atualiza e prepara as empresas capixabas para a Indústria 4.0, com os cursos do  Instituto Euvaldo Lodi (IEL). A instituição oferece cursos livres de curta, média e longa duração, além de cursos de pós-graduação MBA e programas como o de Educação Executiva, que oferece intercâmbio em instituições renomadas, como a Universidade de Columbia, em Nova Iorque.

Escolha o curso que melhor se adeque ao seu perfil!

Por Fiorella Gomes

Leia Também

Comentários do Facebook