Mais uma turma de empresas craque em eliminar desperdícios, otimizar e aumentar a produtividade com a Mentoria Lean do Senai. Um grupo de Vitória entrou na fase final da consultoria neste última quinta-feira (27).

Lançada em março, a Mentoria tem como objetivo aproximar as empresas capixabas da Indústria 4.0, aplicando ferramentas do Lean Manufacturing, ou a manufatura enxuta, que auxiliam na identificação e eliminação do desperdício durante o processo industrial.

“A mentoria é divida em três etapas de treinamento, onde o conhecimento do consultor é replicado para as empresas, para que seja aplicado em todo o processo produtivo. Com o programa, as empresas estarão aptas a utilizar as ferramentas Lean, identificar gargalos de produção, desperdícios operacionais e oportunidades de melhoria”, explica a consultora de eficiência operacional do Instituto Senai de Tecnologia (IST), Edilânia Da Rós Bozzi.

Esse grupo começou a receber a mentoria do Senai há cerca de um mês e a Tricart Baby já conseguiu identificar os benefícios, como a redução do estoque intermediário, redução de desperdícios, aumento da produtividade e redução de custos, como conta o gerente comercial da empresa, Leonardo Baumgratz.

“As consultoras vieram aqui e identificaram que estávamos com um nível extremamente alto de estoque intermediário e, ao mesmo, tínhamos pedidos em atraso. Nosso setor de tecelagem funcionava 14 horas por dia, de segunda a sexta-feira, e também aos fins de semana. Desde que começamos a mentoria, esse setor está praticamente parado, porque cada máquina passou a funcionar de três a quatro horas ao longo da semana”, contou.

Com o setor mais tranquilo, a empresa aproveitou para organizá-lo, fazendo uma limpeza e manutenção preventiva. “Se não fosse a consultoria, continuaríamos nesse ritmo sem sentido”, afirmou Leonardo.

Entre as vantagens apontadas por ele, está a entrega de ferramentas para implementação de melhorias continuadas, mesmo após o término da mentoria. “Outra vantagem é que o empresário entende o porquê das mudanças estarem sendo implementadas e o que elas irão trazer de benefício para empresa, diferente de quando realizamos uma consultoria tradicional, em que o consultor vem, faz todo o processo e entrega o resultado. Quando o empresário coloca a mão na massa, acaba valorizando mais as mudanças, além de compreender a real necessidade em se realizar as melhorias em determinado processo”, pontuou.

Com a mentoria, a confecção também efetuou mudanças de layout, a fim de reduzir o tempo de deslocamento dos colaboradores na execução de tarefas rotineiras, aumentando assim a produtividade.

Outra empresa que realizou mudanças no layout após a mentoria foi a Villa Betume, especializada na fabricação de Concreto Betuminoso Usinado (CBUQ), utilizado em pavimentação de ruas e estradas. Atuando a quatro anos no mercado, eles procuraram a Mentoria Lean visando diminuir desperdícios em um segmento bastante competitivo, de acordo com o diretor operacional e sócio da empresa, Bernardo Martinelli.

“Mudamos alguns equipamentos de local, como possibilitar que o funcionário beba água mais próximo do serviço que está utilizando; transferência da linha de produção do material ensacado para próximo do estoque intermediário desse setor. Tudo isso trouxe benefícios tanto de movimentação de colaboradores quanto de redução de gastos para fazer a transição dos materiais. A próxima etapa será a padronização dos nossos setores, para gerar mais confiabilidade no nosso fornecimento”, contou.

Quem pode participar?

A Mentoria Lean é aplicável a qualquer empresa que tenha um processo produtivo ou preste serviços. A metodologia utilizada para a transferência de conhecimento da cultura da manufatura enxuta é o Lean Game, um jogo de tabuleiro que concilia o conhecimento dado em sala de aula com a simulação prática de uma fabricação de aviões.

“Por meio desse jogo, os mentorados conseguem identificar os desperdícios operacionais como o transporte, movimentação, espera, treinamentos que são realizados sem necessidade. Assim, montam estratégias a partir do conhecimento das ferramentas Lean para melhorar esse processo produtivo e conseguir alcançar as metas”, explica a consultora Edilânia.

Um programa propício também ao compartilhamento de experiências e networking, com duração de até três meses e desenvolvido em grupos de 4 a 6 empresas.

Além disso, mentoria pode ser adaptada a realidade do seu negócio. Atualmente, a carga horária contempla alguns encontros presenciais no Senai e outros na própria empresa, com a equipe selecionada pelos gestores para ser treinada pelos consultores Senai.

As três etapas são dividas em diagnóstico do processo produtivo, com duração de 16h; execução no processo produtivo, com duração de 20h; e a entrega de resultados, com duração de 12 horas.

O programa foi lançado em março deste ano durante o Workshop Competitividade promovido pelo Instituto Senai de Tecnologia (IST), em Vitória. Um grupo de Colatina também já está concluindo as atividades e se tornando fera na redução do desperdício. E se você também tem interesse em participar do programa devem entrar em contato pelo e-mail [email protected] ou telefones 3334-5217 e 3334-5218.

 

– Conheça as etapas do Mentoria Lean:

Etapa 1 – Diagnóstico Do Processo Produtivo (16h)

– 8h de treinamento (Base Senai): lean game (8 desperdícios), Mapa de Fluxo de Valor (MFV) e Formação Equipe Kaizen
– 4h de mentoria para elaboração do MFV e identificação dos desperdícios
– 4h de suporte para conclusão do MFV (PDCA) (2h+2h)

Etapa 2 – Execução No Processo Produtividade (20h)

– 8h de Treinamento (Base Senai): lean game (7 ferramentas e MFV Futuro)
– 4h de mentoria para elaboração do Plano de Ação da Empresa e MFV – Futuro
– 8h de suporte para conclusão do Plano de Ação e intervenções (PDCA) (2h+2h+2h+2h)

Etapa 3 – Entrega dos Resultados (12h)

– 4h de Treinamento (Base Senai): indicadores e gestão à vista
– 4h de mentoria para formação de grupo Kaizen
– 4h de mentoria para implantação de gestão à vista

Por Fiorella Gomes

Comentários do Facebook