Quando chegou ao Senai CentroModa Araçás, na manhã desta quarta-feira (03), Jum Nakao tinha um objetivo: usar sua experiência como designer e diretor criativo para sanar, ao menos minimamente, os anseios e as inquietudes do seu público sobre o processo criativo na hora de fazer moda. E, ao terminar a sua palestra, ele podia ter a certeza que tinha ultrapassado qualquer expectativa: muito mais do que compartilhar os conhecimentos adquiridos, Nakao havia tocado almas, emocionado a plateia presente com seus projetos, suas pesquisas, a sua sensibilidade e a paixão que tem pelo mundo da moda.

Findada a palestra, foi ovacionado por um auditório e salas adjacentes lotados por pessoas que já haviam sorrido e também chorado, prova mais que cabal de que entenderam quando, ao abrir a sua participação, disse:

“Quando temos um sonho, as coisas começam a se desenhar. Mas, para realizá-lo, é preciso sair da gaiola, da sua zona de conforto”.

Ao ModaLab1, o designer não apenas falou sobre “Processo criativo para a Indústria da Moda”, Jum Nakao trouxe pílulas de conhecimento sobre como tentar aprender nas pequenas coisas e também nas grandes coisas que acontecem no nosso cotidiano; sobre como toda vivência traz algum tipo de aprendizado; sobre como a moda e a arte dignificam o ser humano e contam histórias de pessoas, de povos, de nações; sobre como você pode não ter nenhum tempo e nenhum recurso para desenvolver um projeto e, mesmo assim, fazer um trabalho rico como se tivesse todo tempo e todo recurso do mundo, desde que você pesquise, se dedique, estude o assunto e se aprofunde, nem que seja minimamente, nele.

Nakao mostrou croquis e passo a passo de grandes obras e projetos que desenvolveu, como o trabalho realizado para a minissérie global “Hoje é dia de Maria”; a apresentação do Brasil no encerramento das Olimpíadas de Londres em 2012, com as icônicas roupas iluminadas com led e baterias de celular; Turn, um trabalho desenvolvido com os primeiros imigrantes japoneses no Brasil, que faz a ponte entre as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016 e as Olimpíadas de Tóquio em 2020; a exposição “Bailes do Brasil”, onde evidenciou as relações entre moda, música e dança com uma original abordagem de nossa cultura por meio de um grande baile ao longo do tempo; o Reality Project a Hora do Brasil, quando pela primeira vez na história o desenvolvimento de uma coleção até o desfile em tempo real durante uma Semana de Moda; e os workshops de modelagem e desconstrução realizada em comunidades carentes brasileiras.

Confira abaixo as imagens da palestra: 

ModaLab - Jum Nakao

Sobre Jum Nakao

Jum Nakao é designer e diretor de criação, brasileiro e neto de japoneses. Já desenvolveu premiados trabalhos na área de criação e design de moda, cenografia, performances e artes. A performance A Costura do Invisível no São Paulo Fashion Week em 2004 foi considerado o maior desfile da década pelo SPFW e foi reconhecido como um dos maiores do século pelo Museu de Moda da França. A apresentação do Brasil no encerramento das Olimpíadas de Londres 2012, leva sua assinatura.

“Designer que faz arte ou um artista que faz design, diretor de criação ou professor. Diante da complexidade, prefiro ser indefinível do que definido”, como ele próprio se define.

Sobre o ModaLab1

O ModaLab1 é um evento que leva, semanalmente, palestras gratuitas para empresários e profissionais do setor têxtil e de vestuário, além de estudantes de moda. Um espaço em que se é discutido temas desde a criação até a produção de peças.

Sucesso de público, o ModaLab 1, que teria duração de apenas quatro semanas, seguintes ao lançamento do Laboratório de Moda Aberta do CentroModa, no Senai Araçás, em Vila Velha, ocorrido em julho, o evento foi estendido até o final do ano e, em 2019, passa a fazer parte do planejamento anual da unidade.

Além disso, o evento será expandido para o interior do Estado, como o ModaLab2, no CentroModa do Senai Colatina ainda neste mês de outubro e seguirá o mesmo perfil da primeira edição.

Por Fiorella Gomes

Comentários do Facebook