O segundo laboratório aberto de moda do Espírito Santo foi inaugurado nesta quarta-feira (24) no Senai CentroModa Colatina: o ModaLab2. O projeto, que facilita o acesso das indústrias a tecnologia de ponta a baixo custo, vai beneficiar principalmente micro e pequenos empresários. O município e a Região Noroeste contam com aproximadamente 600 empresas do setor e gera 6.500 empregos diretos e indiretos.

A segunda edição do programa foi pensado e desenvolvido por uma união de instituições como o Senai, o Sesi, o Sebrae, a Câmara do Vestuário da Findes, e os sindicatos de confecção Sinvesco e Sinconfec, com o objetivo de estimular a inovação e os setores de confecção, vestuário e têxtil, além de todo o mercado da moda da Região Noroeste e também em todo o Espírito Santo.

“É um momento de união de agentes. Estamos abrindo as portas do Senai com o ModaLab2, o laboratório aberto, para que as indústrias tenham acesso facilitado a uma tecnologia inovadora e de forma especializada para que possam crescer. Afinal, essa é a missão e a visão do Senai: fazer com que indústria capixaba cresça e se fortaleça cada vez mais”, destacou o gerente do Centro Integrado Sesi-Senai Colatina, Paulo Roberto Sutério.

O Senai CentroModa Colatina foi criado em 2014 e conta com um potencial técnico, criativo, multidisciplinar e agregador, apresentando-se como uma escola-conceito, onde o aluno vive o dia a dia da indústria e aprende “colando a mão na massa”, como destaca Rafael Vieira, presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Colatina.

“É uma grande ferramenta e espaço que o setor do vestuário tem dentro do Senai para treinamentos e cursos tanto para quem quer iniciar uma carreira dentro do setor quanto para quem quer se aperfeiçoar em sua profissão. O programa traz um ambiente colaborativo entre mercado, profissionais, indústrias e todos que queiram participar desse ecossistema, como os fornecedores”, apontou.

ModaLab - Colatina

Laboratório aberto

O laboratório aberto de moda conta com equipamentos de última geração, como equipamentos para estamparias, máquinas de costura automatizadas, máquinas de bordado automatizadas, impressora 3D, máquina de gravação e corte a laser, além de softwares e hardwares especializados.

“A ideia é trazer o empresário micro, pequeno, médio, grande para conhecer e utilizar toda a tecnologia que o Senai tem para oferecer na área de confecção. Às vezes, uma pequena e micro empresa não tem condição de comprar esse maquinário, então podem vir aqui e usar com os nossos instrutores, para que desenvolvam projetos em parceria com o Senai”, frisou a diretora da Findes , Valkinéria Cristina Meirelles Bussular.

Para se ter uma ideia, uma máquina gravação e corte a laser, por exemplo, pode custar mais de R$ 250 mil e, agora, os micro e pequenos empresários do setor poderão ter acesso a todo esse potencial tecnológico de forma facilitada e com baixo custo. Para isso, será necessário apenas um agendamento na instituição, com um custo simbólico, e o uso do laboratório poderá ser realizado com acompanhamento de um consultor do Senai.

“Com o ModaLab2, queremos povoar o Senai Colatina. Esse espaço foi criado para o setor industrial do município e região, e queremos que ela seja realmente útil para e atenda a sociedade colatinense. Queremos movimentar discussões, debates, negócios e, quem sabe, enriquecer ainda mais a economia local”, ressaltou o diretor regional do Senai, Mateus de Freitas.

ModaLab

Essa é a segunda unidade do projeto. A primeira foi aberta em julho, em Vila Velha, o ModaLab1, sendo sucesso de público. Além de disponibilizar tecnologia de ponta para o setor, por meio do laboratório aberto, o programa leva ao público de Colatina e região palestras, workshops, oficinas e talk shows quinzenais gratuitos com referências em design, moda e mundo empresarial. Para isso, o Senai CentroModa de Colatina conta, agora, com um auditório com capacidade para 100 pessoas.

A palestra de abertura foi realizada por André Carvalhal, diretor co.criativo da Ahlma, do Grupo Reserva. Com o tema “Moda com Propósito”, ele compartilhou a sua experiência com o público nas grandes empresas na qual trabalhou, como a marca carioca Farm. Um bate-papo sobre moda sustentável, consumo consciente, recomeço profissional e estilo de vida.

Conceito

Todo um conceito foi pensado e trabalhado para o ModaLab2, mostrando a multidisciplinaridade do programa e o potencial técnico do Senai CentroModa Colatina. A curadoria é da artista plástica Rosa-Nina Lieberman, que criou o cenário do evento em conjunto com alunos e docentes da instituição, criando uma transversalidade entre os cursos de Confecção e Moda, Alimentos e Bebidas, Moveleiro e Construção Civil.

A proposta criada para o ModaLab2 propõe uma conversa entre Luxo & Lixo: mais de 120 pneus que seriam descartados contracenam com uma belíssima coleção em amarelo ouro, e os tons preto e branco que criam a conexão com o ModaLab1. É a moda e o design trabalhando em prol da sustentabilidade.

A coleção criada para o evento ainda faz uma homenagem ao designer e diretor de criação Jum Nakao, por meio de adereços que ornam a cabeça dos manequins. É uma alusão ao “Affect Weaving – TURN – Japão – Brasil”, projeto artístico interativo sobre o valor da vida desenvolvido pelo artista, em que ele trabalha com os primeiros imigrantes japoneses no Brasil. Jum Nakao participou do ModaLab1 no início do mês de outubro.

Por Fiorella Gomes

Comentários do Facebook