Olimpíada do Conhecimento: mulheres se destacam na comitiva capixaba

E-mail Imprimir

 

Leidylaine, Julia e Nahara fazem história na Olimpíada do Conhecimento

 

Três mulheres são destaque na comitiva do Espírito Santo na Olimpíada do Conhecimento: Nahara Amaro, Leidylaine Neves e Julia Valone. Competindo em categorias até então dominadas por homens - Eletricidade Industrial, Soldagem e Segurança do Trabalho -, elas chegam com histórias marcantes e muita garra para conquistar uma medalha.

 

Entre os 20 competidores em Eletricidade Industrial, Nahara Amaro, 17 anos, é a única mulher inscrita e a primeira em todas as Olimpíadas a concorrer nesta ocupação. "Já me sinto vitoriosa. Para mim já valeu, só de ter chegado até aqui, depois de um ano de treinamento", conta. Por ser a única mulher do grupo, Nahara teve algumas regalias: a organização precisou fazer um vestiário exclusivo para a aluna, que disse ter morrido de vergonha quando o avaliador líder mandou que ela ficasse de pé.

 

 

Nahara Amaro, estudante de Eletricidade Industrial do Senai Vila Velha, ao lado do docente Valmir Castelano

 

Para Nahara, é possível competir de igual para igual. "Estou bem preparada, não há diferença", disse. O curioso é que ela escolheu essa área por acaso, pois procurou o Senai para se matricular no curso de costura. Como não havia vagas, recebeu o convite para ingressar em Eletricidade Industrial Básica. Gostou tanto que hoje ela faz o curso Técnico em Eletrotécnica e pretende prosseguir na profissão.

 

Leidylaine Neves chegou à Olimpíada disposta a vencer. Ela cursou o Técnico em Mecânica, mas se destacou mesmo foi nas 40 horas destinadas às aulas de solda. "Eu fazia tudo muito rápido e os professores perceberam minha aptidão. Eu trocava o horário só para ficar no laboratório de solda", conta.

 

Foi então que recebeu o convite para tentar uma vaga na Olimpíada do Conhecimento. Ela derrotou seis alunos nas duas etapas da seletiva estadual. "Chego muito confiante, porque essa e uma das ocupações mais disputadas".

 

Aos 20 anos, Leidylaine Neves sonha em fazer Engenharia de Soldagem e também em dar aulas. Para ela, o aluno olímpico tem a chance de adquirir mais conhecimento no tempo de preparação. "Esse conhecimento não vou aprender em lugar nenhum, nem mesmo num curso de 240 horas. Porque aqui nos aprofundamos muito, em situações muito especificas", explicou.

 

Esta é a primeira vez que o Espírito Santo participa da Olimpíada do Conhecimento com a ocupação na área de Segurança do Trabalho. A representante estadual é a aluna Julia Valone, 17 anos, que recebeu o incentivo de um professor para competir. Ela conseguiu fazer o curso do Senai por meio do Pronatec. "Agradeço muito ao Senai por poder realizar esse sonho. Sei que não será fácil, mas me sinto apta", afirma, orgulhosa. Julia é natural do Rio de Janeiro e sua família chegou ao Espírito Santo quando ela ainda era criança. "Vejo também como uma grande responsabilidade representar esse Estado que me acolheu, o Senai e também as mulheres".